Ujjayi Breathing / Respiração “Ujjayi”

The Ujjayi Breathing (the “Victorius” Breath) / Respiração “Ujjayi” Vitoriosa

Breathing is one of the simplest things in the world. We breathe in, we breathe out. When we breathe with real freedom, we neither grasp for nor hold on to the breath. No effort is required to pull the breath in or push the breath out. Given the simplicity of breathing one would think it was the easiest thing to do in the world. However if it were truly so easy there would be few unhappy or unhealthy people in the world. To become a welcome vessel for the breath is to live life without trying to control, grasp, or push away. And how easy is this? The process of breathing is the most accurate metaphor we have for the way that we personally approach life, how we live our lives, and how we react to the inevitable change that life brings to us.
”— Donna Farhi

Breathing techniques were developed based on the concept that breath is the source of life. The prana is the notion of a vital, life-sustaining force of living beings and vital energy. Prana is a central concept of yoga, where it is believed to flow through a network of fine subtle channels called nadis. Its most subtle material form is the breath, but is also to be found in blood, and its most concentrated form is semen in men and vaginal fluid in women.

In Yoga, students gain breathing control as they slowly engage their breathing. By focusing on their breath, they prepare their minds for the next step, which is a meditative state.

For more interesting facts about the importance of breathing, please check:

The Importance of Yoga Breathing,

Pranic Breathing,

 

“Ujjayi Pranayama is a balancing and calming breath which increases oxygenation and builds internal body heat.”   Krishnamacharya

 

Picture to your left: more than 72.000 nadis throughout a person’s body.

 

The breath of yoga, which is also known as breath of fire, is called Ujjayi. Ujjayi breathing is a diaphragmatic breath technique, which the length and speed of the breath is controlled by the diaphragm. The breath first fills the lower belly (activating the first and second chakras), rises to the lower rib cage (the third and fourth chakras), and finally moves into the upper chest and throat.

Inhalations and exhalations are both done through the nose, and are equal in duration. They are controlled in a manner that causes no distress to the practitioner. During inhalation, the diaphragm lowers (the Buddha belly rises) allowing the practitioner to take in more oxygen. During exhalation, the diaphragm rises, and the abdominal muscles are contracted, allowing for a more complete exhalation.

As the throat and the airway are narrowed, the passage of air creates a “rushing” sound. You should not hear any sound coming from your nose. It is a rhythmic sound, like the sound of ocean waves rolling in. This is why Ujjayi is also called the “oceanic breath”. For this reason, I really enjoy teaching oceanfront yoga classes. You can match the breath with the sound of the ocean, which improves relaxation, focus, and staying present in the moment.

Try this exercise: breathe 2 times with the open mouth, then seal your lips, and breathe in and out through the nose. Imagine that you were fogging-up a mirror in front of you, but with the mouth closed. This breath is known as the “Loud Breath”, which when it is done properly, is smooth and pleasant to hear. When you are in a yoga class, let your neighbors hear you breathing. It is a great opportunity to deepen your own breath and to inspire them to do the same.

Ujjayi breathing should be used continuously throughout any Yoga class, expect in restorative classes. Ujjayi is also a helpful way for the yogi or yogini to keep the vital life force “prana” circulating throughout the body rather than escaping from it. Ujjayi is said to be similar to the breathing of a new-born baby before the prana begins to flow out into the external environment.

________________________________________________________________________

“A respiração é uma das tarefas mais simples do mundo. Nós inspiramos e expiramos sem parar. Quando nós realmente respiramos com a liberdade, nenhum esforço é necessário para puxar o fôlego ou empurrar o ar para fora. Pela simplicidade da respiração, fazemos pensar que é a coisa mais fácil de fazer no mundo. No entanto, se fosse realmente tão fácil não haveria tantas pessoas infelizes ou loucas no mundo. Para tornar-mos um canal de boas vindas para a respiração, é importante viver a vida sem tentar controlar-la, ou compreende-la. E quão fácil é isso? O processo de respiração é a ferramenta mais precisa que temos para pessoalmente encarar a vida, como vive-la, e como reagir à mudanças inevitáveis que a vida nos traz. 
 “- Donna Farhi

As técnicas de respiração foram desenvolvidos com base no conceito de que a respiração é a fonte da vida. O prana é a noção de uma força de manutenção da vida dos seres vivos e de energia vital. O Prana é um conceito central de yoga, o foco principal, onde se acredita que tudo flui através de uma rede de canais sutis finos chamados “nadis”. Sua forma material mais sutil é a respiração, mas também é encontrado no sangue, e sua forma mais concentrada é do sêmen nos homens e fluido vaginal nas mulheres.

No Yoga, os alunos ganham controle da respiração, trabalhando ela de forma lenta, profunda e consciente. Ao concentrar-se em sua respiração, os praticantes preparam suas mentes para a próxima etapa, que é um estado meditativo.

“Ujjayi Pranayama é uma respiração equilibrada e calma, que aumenta a oxigenação e constrói o calor do corpo interno.” Krishnamacharya

A respiração de yoga, que também é conhecido como respiração de fogo, é chamado Ujjayi. Respiração Ujjayi é uma técnica de respiração diafragmática, que o comprimento e a velocidade da respiração são controladas pelo diafragma. A respiração enche primeiro a parte inferior da barriga (para activar o primeiro e segundo chakras), levanta-se a caixa torácica inferior (o terceiro e quarto chakras), e, finalmente, se move para a parte superior do peito e da garganta (quinto e sexto chakras).

Inalações e exalações são ambos feitos através do nariz, e são iguais em duração. Elas são controladas de uma maneira que não cause desconforto ao praticante. Durante a inalação, o diafragma abaixa (a barriga sobe), permitindo o praticante a ter mais oxigênio. Durante a expiração, o diafragma se levanta, e os músculos abdominais são contraídos, permitindo uma exalação mais completa.

À medida que a garganta e as vias aéreas ficam mais estreitas, a passagem de ar cria um aumento da velocidade do som da respiração. Este som nao é como qualquer som vindo do nariz, e sim um som ritmado, como o som das ondas do mar quebrando na praia. É por isso que a respiração Ujjayi também é chamada de “respiração oceânica”. Por esta razão,  é  interessante praticar o Yoga à beira-mar. Você pode combinar a respiração com o som do mar, o que melhora o relaxamento, foco e te traz para o momento presente.

Tente este exercício: respire duas vezes com a boca aberta, em seguida, feche seus lábios e inspire e expire pelo nariz. Imagine que você estava “embaçando” um espelho na sua frente, mas com a boca fechada. Esta respiração é conhecida como a “respiração alta”, que quando é feito corretamente, é suave e agradável aos ouvidos. Quando você está em uma aula de yoga, deixe as pessoas a sua volta ouvir você respirar. É uma grande oportunidade para aprofundar a sua própria respiração e inspirá-los a fazer o mesmo.

A respiração ujjayi deve ser usada continuamente durante a pratica do Yoga (com exceção nas praticas restaurativas) Ujjayi é também uma forma útil do praticante manter a força da vital, o “prana” que circula por todo o corpo. Este estilo de respiração  é dito ser semelhante à respiração de um bebê recém-nascido antes do prana começa a fluir para o ambiente externo.

Foto acima: mais de 72.000 nadis (canais de energia) percorrendo o corpo.